terça-feira, 24 de novembro de 2009

Prece

horas devoradas pela realidade,
o Homem da Capa Preta ataca novamente
com seu toque de sombra e seu olhar de censura
orai, irmãos!
somos a face obscura,
o elo perdido...
esperamos o braço nunca estendido
rezem, irmãos!
não há liberdade fora do sonho.


Guilherme.

Um comentário:

  1. De uma cabeça desse tamanho.. algo bom havia de ter! ;)

    Poeta preferido! =]

    ResponderExcluir